Falta de planejamento leva muitas empresas a falência

0
281

Entra ano e sai ano, o percentual de empresas ainda recentes que fecham as suas portas no Brasil é muito grande. E um dos motivos vem se destacando há décadas: a falta de planejamento leva à falência. Este ainda é o maior desafio dos pequenos empreendedores no Brasil. Por que isso ainda acontece?

Por trás da falta de planejamento

A falta de capacitação faz com que o empreendedor iniciante não saiba planejar ou planeje mal o seu negócio. Ainda se acredita que o planejamento seja opcional (o que não é verdade) ou que precise ser feito uma vez na vida do negócio. Não se tem muito critério ou exatidão sobre o que é planejamento, sobre como ser realista e como compreender as diferentes fases da empresa.

O planejamento muito específico e claro é o ponto de partida para qualquer negócio. Planejar significa dar dimensão ao seu projeto e definir metodologia de gestão – e se não se planeja, o que fica definido? Além da falta de entendimento sobre a importância do planejamento, há o problema da resistência, muito comum em empresas familiares. Uma vez que se vê algum resultado inicial, o empreendedor ainda resiste em querer mudar, para avançar em fases maiores e mais complexas do negócio. E planejar supõe todas as fases.

Riscos X planejamento

Empreender significa correr riscos. Isso é verdade. Mas não se trata de uma roleta-russa como ocorre com a falta de planejamento. Correr todo tipo de risco não é positivo. Que vantagens há nisso? Os riscos devem ser calculados e supostos exatamente no planejamento do negócio.

É preciso prevê-los e dar-lhes soluções. Eis mais um benefício do planejamento: supor riscos, evitá-los ou remediá-los. Não há glória nenhuma em estar disposto a correr todo tipo de risco, assim como não há glória em apenas “sobreviver”. Além disso, não é estratégico. A falta de planejamento sempre coloca a empresa no fronte das contingências.

Entusiasmo do empreendedor

O entusiasmo pode ser um fator motivador e de sucesso de pequenos negócios iniciantes. Mas a maioria dos empreendedores brasileiros costumam abrir um negócio por entusiasmo ou necessidade de sobreviver num mercado sem emprego. Foi o que evidenciou o IBGE, que entre 2014 e em 2017, as empresas de pequeno porte foram mais suscetíveis ao fechamento devido às pessoas abrirem negócios por entusiasmo, sem noção do preparo e do planejamento que deveriam efetivar.

Tempo de planejamento

Outro fator que resulta em falências de pequenos negócios é o tempo de planejamento. Não basta planejar: é preciso planejar de forma adequada e em médio e longo prazos. Uma pesquisa do IBMEC e do SEBRAE, ambos de São Paulo, revelaram alguns motivos para o fechamento precoce das empresas. Entre eles estão o pouco tempo de planejamento: há uma probabilidade maior de fechamento de uma empresa quando o proprietário gastou até cinco meses planejando o negócio do que daquele que gastou um ano ou mais nesse planejamento.

A dica é gastar mais tempo planejando o seu negócio, capacitando-se e buscando respostas para diferentes fases do mesmo, do que faze o planejamento por fazer, para cumprir regra. Além disso, deve-se ter em conta uma previsão de médio e longo prazos, para supor diferentes fases do negócio.

Gostou das dicas sobre falta de planejamento? Deixe um comentário a seguir!