Categoria: Notícias

Quase 60% das empresas precisam de treinamento para se adaptar ao eSocial

Estudo realizado pelo Sistema Fenacon Sescap/Sescon destaca ainda a mudança de cultura como um dos principais desafios

Das empresas que participaram da pesquisa sobre o eSocial, 58% indicaram a necessidade de treinamento para promover a adaptação dos funcionários ao novo formato de envio das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais ao governo. O levantamento, realizado pelo Sistema Fenacon Sescap/Sescon, considera a opinião de 1.332 empresas brasileiras, principalmente, do setor de serviços e do comércio.

O eSocial entra em vigor em duas fases – em janeiro de 2018 para as companhias que faturam acima de R$ 78 milhões e em julho do mesmo ano para as demais. Sem possibilidade de prorrogação desses prazos, as empresas têm entre quatro e 10 meses para adequarem suas rotinas, softwares, bancos de dados e pessoal ao uso do novo sistema.

“Preparar os funcionários que atuam na emissão da folha de pagamento, nos departamentos administrativos e de recursos humanos será fundamental para evitar o envio de informações equivocadas. Investir em cursos e no uso do ambiente de testes do eSocial, aberto desde 1º de agosto, será muito importante para a qualificação dos colaboradores”, alerta o presidente do Sescon Campinas Edison Ferreira Rodrigues.

Para ajudar na tarefa, a Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon) criou, em parceria com a Receita Federal, o MTE e a Caixa, o Portal Árvore do Conhecimento (www.arvoredoconhecimento.org.br). No site, estão disponíveis gratuitamente mais de 40 vídeos, com conteúdo direcionado ao preenchimento do eSocial.

Outros desafios

A pesquisa da Fenacon apurou ainda os principais desafios das empresas na implantação do eSocial. Segundo o relatório, 42,3% veem dificuldade em repensar processos e mudar a cultura organizacional. O número reflete, na avaliação do diretor de educação e cultura da Fenacon, Hélio Donin Júnior, a resistência das empresas em deixar de lado alguns procedimentos equivocados.

“Com o eSocial em vigor, não será mais possível admitir o funcionário sem enviar toda a documentação necessária para o registro. Esses maus hábitos, que apesar de serem proibidos pela legislação eventualmente acontecem”, explica. Na lista de dificuldades aparecem ainda a demanda por adequação de sistemas (27,2%) e a necessidade de alterações operacionais (16,1%), entre outras.

Foto: Pixabay


COMUNICADO: NEGOCIAÇÕES COLETIVAS 2017/2018

 O SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS, DE ASSESSORAMENTO, PERÍCIAS, INFORMAÇÕES E PESQUISAS DA REGIÃO METROPOLITANA DE CAMPINAS – SESCON CAMPINAS,  entidade sindical que possui em sua base de representação as cidades de AMERICANA –  ARTUR NOGUEIRA – CAMPINAS – COSMÓPOLIS – ENG. COELHO – HOLAMBRA – HORTOLÂNDIA – INDAIATUBA – ITATIBA – JAGUARIÚNA – MONTE MOR – NOVA ODESSA – PAULÍNIA – PEDREIRA – STO. ANTONIO POSSE – SUMARÉ – VALINHOS – VINHEDO vem comunicar aos associados e representados o atual status das Negociações Coletivas 2017/2018.

As reuniões de negociação, vem ocorrendo desde fevereiro e apesar dos esforços envolvidos, infelizmente, até o presente momento não foi possível o fechamento de uma Convenção Coletiva de Trabalho, apesar das intensas reuniões e mesas redondas, em andamento.

Neste ponto, o Sescon Campinas acredita na Negociação Coletiva como melhor caminho às partes envolvidas e sabendo da preocupação de todos representados em não criar passivos trabalhistas:

Orienta a antecipação do índice de 2,08% (INPC / IBGE do período) a título de reajuste salarial, retroativo a 1º de agosto de 2017.

Reforçamos que toda e qualquer negociação apartada, neste momento, enfraquece a Comissão de Negociação Coletiva e historicamente, não tem sido uma estratégica com bons resultados.
Atenciosamente,
Edison Ferreira Rodrigues
Presidente do SESCON CAMPINAS 

Campinas, 05 de setembro 2017


Reserve seu lugar neste evento especial!


Confira os Cursos a Distância com pontuação do CFC e atualize-se!

  Informações e inscrições no Sescon Campinas:

(19) 3239-1845 ou atendimento@sesconcampinas.org.br


Campinas 243 anos, a sua história nos inspira!


Parcelamento especial auxilia 1,9 milhão de MEIs em dívida com a Receita

Débitos apurados até maio de 2016 podem ser negociados pelos microempreendedores até o dia 02 de outubro

Com a crise econômica e o aumento do desemprego no Brasil, muitas pessoas têm optado por abrir seus próprios negócios como forma de sustento. Somente no ambiente do Microempreendedor Individual (MEI) são cerca de 7 milhões de brasileiros, sendo que aproximadamente 27% dos participantes do programa possuem débitos com a Receita Federal do Brasil (RFB). O número equivale a pouco mais de 1,9 milhão de MEIs que devem cerca de R$ 1,6 bilhão. Até 02 de outubro, no entanto, é possível solicitar o parcelamento da dívida em até 120 meses e regularizar a situação junto ao Fisco.

Segundo o diretor político-parlamentar da Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon), Valdir Pietrobon, o parcelamento pode ser uma saída para o microempreendedor se manter na atividade, mas é importante ficar atento aos prazos e ao melhor planejamento para o pagamento dessas dívidas. “Todo parcelamento é bom, mas não adianta fazer sem orientação e atenção a detalhes como o valor mínimo da parcela, que é de R$ 50. É preciso deixar claro para o MEI quais os compromissos para continuar a receber os benefícios”, explica.

E uma opção eficiente para auxiliar os microempreendedores nessas questões é a consulta a um empresário contábil, que indicará a melhor estratégia para esses negócios. “A grande maioria dos MEIs que está em dia conta com a ajuda desses profissionais. Por isso é importante, antes de entrar em qualquer parcelamento ou renegociação, procurar orientação especializada”, afirma o presidente do Sescon Campinas Edison Ferreira Rodrigues.

PERT

A Fenacon continua na busca da inclusão das empresas participantes do Simples Nacional dentro do Programa Especial de Regularização Tributária (PERT), que está sendo votado no Congresso Nacional por meio da Medida Provisória n° 783/2017. Se aprovado, ele permitirá que as pessoas físicas e jurídicas tenham acesso a um refinanciamento com condições especiais (como parcelas em até 175 meses, além da utilização dos créditos tributários, ou de prejuízo fiscal, no pagamento dessas pendências), mas a RFB lançou uma Instrução Normativa que excluiu os integrantes do Simples desse Refis. “Com o atual cenário econômico, muitas dessas empresas necessitam de forma urgente de uma definição. Caso elas não sejam incluídas no PERT, que se abra uma nova MP para elas, evitando assim o fechamento desses negócios e o aumento do desemprego”, contextualiza o presidente da Fenacon, Mário Berti.

Foto: Pixabay


Porco no Rolete garanta seu convite!

Ingressos R$ 65,00 (cada)


COMUNICADO SOBRE NEGOCIAÇÕES COLETIVAS 2017/2018

O SINDICATO DAS EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS, DE ASSESSORAMENTO, PERÍCIAS, INFORMAÇÕES E PESQUISAS DA REGIÃO METROPOLITANA DE CAMPINAS – SESCON CAMPINAS, entidade sindical que possui em sua base de representação as cidades de – Americana, Artur Nogueira, Campinas, Cosmópolis, Engenheiro Coelho, Holambra, Hortolândia, Indaiatuba, Itatiba, Jaguariúna, Monte Mor, Nova Odessa, Paulínia, Pedreira, Santo Antônio de Posse, Sumaré, Valinhos e Vinhedo – vem comunicar aos associados e representados o atual
status das Negociações Coletivas 2017/2018.

Considerando a proximidade da data base de nossa categoria (agosto), o Sescon Campinas esclarece que vem participando das reuniões da Comissão de Negociação Coletiva, fórum no qual se discute de forma centralizada com outros Sescons do Estado de São Paulo as estratégias, pautas de reinvindicações e propostas.

Somete neste ano, já ocorreram quatro reuniões desta natureza, realizadas nos dias 23/02, 13/04, 08/05 e 26/05, todas na sede do SESCON SÃO PAULO, sempre com a presença dos membros da Comissão de Negociação Coletiva do SESCON CAMPINAS, formada pelo seu presidente Sr. Edison Ferreira Rodrigues, seu vice-presidente Dr. Rodrigo de Abreu Gonzales e o vice-presidente Administrativo Sr. José Homero Adabo.

A estratégia de negociação centralizada, já utilizada há anos pelos Sescons, fortalece nossa categoria, força que é primordial e necessária em qualquer Negociação Coletiva, principalmente no atual momento político/econômico de nosso país. Sabemos da preocupação de todos representados em não criar passivos trabalhistas, por outro lado, pedimos o empenho e confiança em mais esta jornada, pois temos certeza que a negociação deste ano será dura, mas juntos conseguiremos melhores condições para nossa categoria.

Vale destacar, que toda e qualquer negociação apartada, neste momento, enfraquece a Comissão de Negociação Coletiva e historicamente, não tem sido uma estratégia com bons resultados. Dito isto, o SESCON CAMPINAS, continuará a informar a sua base sobre qualquer novidade nas negociações. 

Atenciosamente,
Edison Ferreira Rodrigues
Presidente do SESCON CAMPINAS

 


Curso de Brigada de Incêndio

No dia 27 de junho, acontecerá no Sescon Campinas o Curso de Brigada de Incêndio. Com carga horária de 8 horas, o curso ministrado pela Roperbras, parceira do Sescon Campinas, tratará de prevenção e combate a incêndios, além de teoria e prática de primeiros socorros.
Aos associados dos Sescon Campinas as inscrições serão gratuitas. A capacitação também está aberta ao público em geral com um preço especial de R$ 100,00 por pessoa.

Inscrições: (19) 3239-1845 ou atendimento@sesconcampinas.org.br

 


Prazo para entrega da declaração anual do MEI termina quarta-feira (31)

Microempreendedor Individual que enviar o documento após a data paga multa mínima de R$ 50

O prazo para entrega da Declaração Anual Simplificada para o Microempreendedor Individual 2017 (DASN-SIMEI) termina na quarta-feira (31). Todos os MEIs com registro ativo, mesmo aqueles que não tiveram rendimentos ao longo de 2016, têm de prestar contas à Receita Federal do Brasil (RFB). Se o documento for transmitido após a data limite, o empreendedor está sujeito ao pagamento de multa e à perda de benefícios, até que a situação seja regularizada, como aposentadoria, auxílio-doença e auxílio-maternidade.

Segundo dados do Comitê Gestor do Simples Nacional, até 31 de dezembro de 2016, 6,6 milhões de brasileiros trabalhavam por conta própria como MEIs e estão obrigados a entregar a DASN-SIMEI até o último dia de maio. “Muitos desses acabam deixando para última hora, mas o grande problema continua sendo a falta de informação”, avalia o presidente da Federação Nacional das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas (Fenacon), Mario Elmir Berti.

O preenchimento da declaração é simples e pode ser feito pelo próprio MEI por meio do Portal do Empreendedor (www.portaldoempreendedor.gov.br). É preciso informar a receita bruta total de 2016, especificar a receita bruta obtida com atividades de comércio, indústria e serviços de transporte intermunicipal e interestadual, se for o caso, e também informar se havia funcionário contratado. “Mas procurar ajuda de um empresário contábil pode facilitar, pois a primeira declaração pode ser realizada sem custo pelos escritórios de contabilidade optantes pelo Simples”, destaca o presidente da Fenacon.

Consequências
Os microempreendedores individuais que não entregarem a declaração até 31 de maio ficam obrigados a pagar multa. A taxa mínima é de R$ 50, mas pode chegar a 20% do valor total de tributos declarados – 2% por mês de atraso. “Quanto mais tempo o MEI demorar para regularizar a situação, mais cara pode ficar a multa. Por isso recomendamos que o envio da DASN-SIMEI o mais rápido possível”, explica Berti. Outro ponto destacado pelo presidente da Fenacon é a garantia de benefícios. Ao se formalizar e cumprir suas obrigações, o microempreendedor passa a ter direitos trabalhistas e previdenciários, e fica isento de outros tributos federais.

Extinção
Os MEIs que encerraram as atividades nos primeiros quatro meses de 2016 também precisam entregar a DASN-SIMEI agora. “Nesse caso o prazo é um pouquinho maior, vai até 30 de junho deste ano. Mas a obrigatoriedade permanece”, alerta Berti. No momento de preencher a declaração, é preciso selecionar a opção “Situação Especial” e informar a data de extinção.

——————————————————
Fonte: Sobre o Sistema Fenacon Sescap/Sescon
Foto: Pixabay